Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

2 Nabos na Púcara

Dois autênticos nabos que resolveram criar isto para vir falar de coisas, cenas e algo mais.

27
Out17

Ode aos Taxistas

Quero começar já por dizer, em primeira mão e para o Mundo em geral, que não esperem que nesta dissertação venha para aqui falar mal dos Taxistas.
Isso são piadas fáceis que deixo para os outros, porque eu como intelectual da piada não entro em disputas sobre os perfumes que alguns dos senhores emanam ou mesmo sobre a forma como conduzem.
Não quero aqui vir falar, nem tenho qualquer interesse nisso, em escrever como se fala por aí que alguns destes senhores conseguem levar turistas do Aeroporto de Lisboa até ao areeiro e conseguem passar pelo Santuário de Fátima no caminho, tudo isto, em menos de uma hora e sempre a 200 km/h.
Existem até rumores de Ingleses que já foram de táxi ao Algarve e passaram por Bragança, Braga, Évora e que ainda acreditam que Portugal dos Pequeninos fica em Loulé.
Tenho um tio meu afastado do norte, que um vez veio cá ao hospital e apanhou um táxi na Ajuda em direção a Santa Maria e que diz que ficou maravilhado em passar uma ponte muito cumprida.
Ainda hoje me fala da visita guiada que teve ao Mosteiro do Montijo e como ainda é hoje um grande devoto do Santo Aleixo.

E sobre a questão dos dentes ou da falta deles, isso é tudo uma cabala até porque ando bastante de táxi e nunca dei conta disso.
Para aqueles que me perguntam porque levo um colar de alhos ao pescoço quando ando de táxi, isso tem apenas a ver com uma viagem que fiz uma vez à Roménia e desde essa altura tenho pesadelos tramados com vampiros.

Ainda ontem por coincidência (existem coisas que não lembram a ninguém) estava eu a chegar ao Parque das Nações para ir fazer uma das minhas caminhadas semanais e não é… epá… não é que apanhei um senhor taxista parado numa curva apertada, mesmo em cima de uma passadeira com os quatro piscas ligados e a ler o jornal.
Com o meu jeito habitual, tentei contornar como podia o táxi atravessado na estrada e com os meus habituais bons modos perguntei, gentilmente…
- Olhe, sff, pode dizer-me o onze inicial para o jogo do Benfica de amanhã?
Bom, o resto, podemos todos imaginar.
Fiquei admirado…então não é que o senhor até parecia que me conhecia?
Disse-me tantas coisas grandiosas a respeito do meu órgão genital e sobre as potenciais capacidades da minha cavidade anal que eu, na minha inocência nem sabia que tais maravilhosas palavras existiam.
Foi um êxtase de tal forma que quase me emocionava.
E quando falou da minha mãe?
Meu Deus, eu nem podia acreditar no que ouvia.
Dizia que a minha mãe era uma profissional das vendas e foi aí que percebi, que por mera sorte, foi a minha que lhe vendeu o Mercedes 190 D em 1989, aquele que por acaso, já nem devia circular em Lisboa.
Já num pranto, viemos a descobrir que a mãe do senhor taxista era conhecida por Josefina, senhora essa que era conhecida na Morais Soares, como a senhora da casa dos bicos.
Ainda me lembro que o meu falecido avô, falava nela sempre com muita alegria.

No fim demos um abraço apertado e ao olhar pelo retrovisor, pensava como o mundo era pequeno e como aquele taxista tinha transformado aquele pequeno momento da minha vida.
Ficará para sempre no meu coração.

NaboDias.jpeg

 

Sigam-me

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D